Ser Como Jesus, Ser Como Krishna


As vertigens mais sagradas tenho aqui,
Aqui em meu leito de impuras menores
Lágrimas de humano menor em todas
As suas idas ao cair de suas vindas
E de sua vindas ao elevar de seu nada.
Nada meu,
Nada seu,
Nada seu nada meu,
Nada na Terra nos pertence
E nos agarramos tanto às migalhas míseras
Dos dias presentes!
Ah,
Humano,
Humana,
Somos tão terrivelmente profanos,
Somos tão terrivelmente mundanos!
Ah,
Mestre Jesus,
Quisera eu fazer a Humanidade
Deixar de ser profana,
Quisera eu fazer a Humanidade
Deixar de ser mundana!
Ah,
Mestre Krishna,
Quisera eu ser menos profano,
Quisera eu ser menos mundano!
Sei que não mereço nem ao menos
A fruta melhor da melhor árvore
Que plantada foi na maior floresta
Dotada de todas as liberdades.
Sei que nenhum humano profano,
Sei que nenhum humano mundano,
Como eu,
Merece toda fruta melhor
De toda melhor árvore.
As frutas por mim consumidas,
As frutas pela Humanidade consumidas,
São as das Árvores Das Mentiras,
São as das Árvores Das Ilusões,
São das Árvores Filhas Da Deusa Mentira,
São das Árvores Filhas Da Deusa Ilusão.
Mestre Jesus,
Grande Deus Da Humildade,
Quisera eu ser como Tu,
A serenamente pescar homens verdadeiros
Nos mais verdadeiros mares!
Mestre Krishna,
Grande Personalidade Da Senda Divina,
Quisera eu ser como Tu,
A supremamente tocar a Vossa Flauta
Que submete Melodias Das Altas Auroras
Aos Ouvidos Espirituais Dos Libertos
Da Escravidão Da Matéria!
Quisera eu ser como Vós,
Mestre Jesus,
Mestre Krishna,
E um pouco da minha Sabedoria Alta
Poder aos humanos todos
Expandir...
Mestre Jesus,
Mestre Krishna,
Se faria em mim a primazia de
A muitos perdidos indicar
O Caminho Entre Vários Caminhos,
A Fonte De Poder
Entre Infinitas Fontes De Poder!
Mestre Jesus,
Mestre Krishna,
Não seria eu assim um herói,
Não seria eu assim um salvador,
Não seria eu assim um mentor,
Não seria eu assim um guia...
Mas,
Mestre Jesus,
Mestre Krishna,
Do que adiantaria ser como Vós
Neste mundo atual sem Alta Voz,
Recheado de altas mentiras,
Recheado de altas ilusões,
Recheado de divinas intenções mortas,
Recheado de mortos sem divinas intenções?
Mestre Jesus,
Mestre Krishna,
Não sou como Vós,
Não serei ainda nesta existência
Como Vós...
Mestre Jesus,
Mestre Krishna,
Falta ainda libertar-me da mentira,
Falta ainda libertar-me da ilusão,
De nesta existência pensar que posso como Vós
Ser
E que posso sendo como Vós
Salvar a Humanidade
Que vem a negar todo o auxílio
De Vossas Imagens
A surgirem nas cinzas das horas sombrias
E
Nas águas das horas claras...

Comentários

Postagens mais visitadas