Deusa Amada Inominável - Canto XVIII


Entre as flores rasgantes

Das peles humanas,

Entre as flores provocantes

Dos fracos que tentam

Como inúteis eternos

Serem fortes,

Meço a medida certa

Das minhas palavras

Em versos

Que se cadenciam

Em jardins de prata.


Jardins de prata,

Já que os Jardins De Ouro

Estão perdidos...


Ou jardins de lata,

Já que estamos

Na Idade Da Lata?


JARDINS DE LATA

É O NOME CORRETO

DOS JARDINS HUMANOS!!!


DOS JARDINS HUMANOS

DO HOJE DE LATA!!!


Jardins Humanos,

Estranhos Jardins,

Medonhos Jardins,

Secos jardins...


Em Jardim Inominável,

Entre Flores Inomináveis,

Deitada,

Delicada,

Sorridente,

A Deusa Amada Inominável

Dos Jardins Ocultos

Da Felicidade

Repousa.


Ela,

Flor De Deusa,

Deusa De Flor,

Deusa Inominável Flor,

Flor Deusa Inominável,

Oferece-me as pétalas

Das flores mais etéreas,

As pétalas das

Flores Inomináveis

De Todos Os Jardins

Inomináveis.


Cada pétala toca

Em minha pele

E me acaricia...


Eu,

Humano tão nomeável,

Sinto-me Inominável,

Sinto O Inominável...


O Sorriso Da Deusa Flor

Inominável...


O SORRISO DA

DEUSA

FLOR

INOMINÁVEL!!!


Vejo O Sorriso Flor

Inominável...


VEJO O SORRISO

FLOR

INOMINÁVEL!!!


Sei agora como se sentem

Todas as flores presentes

Em todos os Jardins

Da Criação

Ao Toque Das Deusas

Amadas Inomináveis!


Uma Paz Inominável

Tão perfeita...


Um Alento Inominável

Tão perfeito...


Uma Eternidade De Flores

De Maravilhas Nascidas

Da Deusa Harmonia

Tão perfeita...


HUMANOS,

POR QUE

DESTRUIMOS

OS

JARDINS

NOSSOS?


HUMANOS,

POR QUE

PISOTEAMOS

AS

FLORES

NOSSAS?


HUMANOS,

POR QUE

NÃO

SABEMOS

SER

TOCADOS

PELAS

PÉTALAS

CORRETAS

NOS

JARDINS

CORRETOS?


A Deusa Amada Inominável

Permanece lá deitada,

Deitada entre

As Flores Inomináveis

De Seu Jardim Inominável,

Sorridente Flor,

Sorridente

Flor,

S

o

r

r

i

d

e

n

t

e

F

l

o

r

.

.

.

Sigo por outros Jardins,

Os Jardins Humanas...


As pétalas das

Flores Humanas

V

o

l

t

a

m

a

m

e

f

e

r

i

r

.

.

.

Comentários

Anônimo disse…
Inominável Poeta:
Vim na intenção de agradecer o gentil comentário deixado no Meu Porto e me vi fascinada pelos versos que brotam de sua alma. Versos que me parecem mesclados de alguma tristeza, de algum desalento. Mas, versos que me arrebataram e, pelos quais, me deixei transitar, esquecida do tempo e do espaço que me cerca.
Obrigada, também, por esse momento...
Deixo um abraço,

Míriam Monteiro - http://migram.blog.uol.com.br
Agnes Mirra disse…
É realmente um canto, uma prece, uma evocação lancinante... Seus versos jorram até onde não estão escritos, divinamente espalhados em todos os cantos... Envolvem o leitor numa aura mágica e sedutora proeminentes de sua mente incrivelmente criativa! É um prazer visitar seu espaço e poder expressar o que absorvi...

Beijos Agnescos...
Inominável Ser disse…
Inomináveis Saudações.

Que o Tempo/Espaço seja sempre esquecido, também, nas gestações de vossos maravilhosos versos, Míriam Monteiro. Obrigado pela visita e retorne quando quiser, serás bem-vinda.

Obrigado pela vossa visita, minha irmã Agnes. Acho que os meus delírios inomináveis estão tendo voz neste blog tanto quanto no nosso Delírios Inomináveis. Volte sempre que puder, também serás bem-vinda.

Saudações Inomináveis.

Postagens mais visitadas