A Marcha Das Deusas Guerreiras Inomináveis - Canto XLVIII


Dança

Alta

Dança

Alta

Dança

Alta

Dança

Alta!


Forma

Forma

Forma

De Poder

De Poder

De Poder,

O Poder Inominável

Da Dança Inominável

Do Guerrear

Na Inominabilidade

De Toda Dança

Que

Vence

Que

Vence

Que

Vence

Que

Vence

Os Exércitos Destruidores

Das Falanges Destrutivas

Das Verdades

Dos Caminhos Guerreiros

Inomináveis

Dos Caminhos Guerreiros

Inomináveis

Dos Caminhos Guerreiros

Inomináveis!


Danças Do Dragão

Danças Do Dragão

Danças Do Dragão

Danças Do Dragão

Danças Do Dragão

Danças Do Dragão

Danças Do Dragão

Danças Do

Grande Dragão Inominável,

Veja-A

Veja-A

Veja-A

Veja-A

Veja-A

Veja-A

Veja-A,

Verme Homem,

A Dançar Contendo

As Duas Espadas Transcendentais

Das Danças Inomináveis

Nas Bélicas Altas

Mãos

Nas Bélicas Altas

Mãos

Nas Bélicas Altas

Mãos

Nas Bélicas Altas

Mãos

Nas Bélicas Altas

Mãos

Nas Bélicas Altas

Mãos

Nas Bélicas Altas

Mãos!


Dança E Sangue,

Sangue E Danças,

Danças E Sangue,

Dança Inominável,

Sangue Inominável,

Verme Homem,

A Quadragésima Oitava

Deusa Guerreira

Inominável

É A Dança Do Sangue

Inominável

Das Verdadeiras Cósmicas

Propriedades Altas

Da Verbalidade Inominável,

É O Sangue Das Danças

Inomináveis

Dos Tributos Existenciais

Ao Alvorecer Alto

Das Infinitudes Da

Inominabilidade,

É As Danças Do Sangue

Do Íntimo Do Primeiro

E Do Íntimo Do Último

E Do Íntimo Do Intermediário

Entre As Pedras

Do Caminho

Nomeável

E O Ouro

Do Caminho

Inominável,

É

A Dança Inominável

De Trevas Casando-Se Altas

Com As Luzes,

É O Sangue Inominável

Dos Filhos Da Dança Inominável

Trevosa E Luzidia

Gerando Filhos

Inomináveis

Que Dançam

Que Dançam

Que Dançam

Que Dançam

Que Dançam

Que Dançam

Que Dançam

Que Dançam

Que Dançam

Que Dançam

Que Dançam

Que Dançam

Na Dança

E No Sangue

Da Cósmica Sinfonia!


Verme Homem,

Adiantai,

Marchai Marchai

Marchai,

Acreditando Nas Vossas

Danças Verdadeiras,

Acreditando Em Vosso

Sangue Verdadeiro,

A Dançarina Inominável

Da Cósmica Sinfonia

Vai Marchando

Vai Marchando

Vai Marchando

E

Abrindo O Inominável

Caminho Entre

Os Cadáveres Do

Passado,

Entre

Os Cadáveres Do

Presente,

Entre

Os Cadáveres do

Futuro,

Passos Cósmicos

Passos Cósmicos

Passos Cósmicos!


Os Passos

Da Quadragésima Oitava

Reverberam Nas Ocultas

Místicas Esferas

Da Terra,

Verme Homem,

Ela É A Segunda Respiração

Dançante

Do Grande Dragão Inominável,

Ela Te Excita,

Ela Te Cobra,

Ela Te Morde,

Ela Te Instiga,

Ela Te Fere,

Ela Te Acaricia,

Ela Te Empurra,

Ela Te Humilha,

Ela Te Eleva,

Ela Te Rebaixa,

Ela,

Inominavelmente,

Vai Mostrando-Te

Com A Marcha Dançarina

Cósmica Dela,

Que O Abismo Possui

Maravilhas

E O Alto Horizonte

É A Maravilha Do Abismo

E Todos Os Abismos

São O Alto,

Pois É Preciso Dançar

No Abismo Material,

Em Grande Vagar,

Em Pequeno Labor,

Em Silencioso Motor,

Em Rápido Girar,

Como Se Todo Passo

Fosse Uma Marcha

Que Resgata

Que Resgata

Que Resgata

Que Resgata

Que Resgata

Que Resgata

Que Resgata

Que Resgata

Que Resgata

Que Resgata

Que Resgata

Que Resgata

Que Resgata

Que Resgata

Que Resgata

Que Resgata!


Com Uma Espada

Ela Arranca-Te

Os Materiais Olhos,

Verme Homem!


Com A Outra Espada

Ela Arranca-Te

A Material Língua,

Verme Homem!


Com Uma Espada

Ela Arranca-Te

Os Materiais Tímpanos,


Verme Homem!

Com A Outra Espada,

Ela Arranca-Tre

As Materiais Mãos,

Verme Homem!


Com Uma Espada,

Ela Arranca-Te

Os Materiais Pés,

Verme Homem!


Com A Outra Espada,

Ela Arranca-Te

O Material Coração,

Verme Homem!


Com Uma Espada,

Ela Arranca-Te

A Material Mente,

Verme Homem!


Com A Outra Espada,

Ela Arranca-Te

O Material Espírito,

Verme Homem!


Com Uma Espada

Ela Arranca-Te

A Material Alma,

Verme Homem!


Verme Homem,

Ela Concede

Aos Que Em Ti

Se Deixam Assim Mutilar

Os Inomináveis Olhos,

A Inominável Língua,

Os Inomináveis Tímpanos,

As Inomináveis Mãos,

Os Inomináveis Pés,

O Inominável Coração,

A Inominável Mente,

O Inominável Espírito,

A Inominável Alma,

Do Inominável Desconhecido

Dançante No Kosmos

Como

A Mãe Inominável,

Do Inominável Desconhecido

Dançante No Kosmos

Como

O Pai Inominável,

Mãe

Pai

Mãe

Pai

Mãe

Pai

Mãe

Pai

Mãe

Pai

Mãe

Pai

Mãe

Pai

Mãe

Pai

Mãe

Pai

Mãe

Pai

Mãe

Pai

Mãe

Pai

Mãe

Pai

Mãe

Pai

Mãe

Pai

Mãe

Pai

Mãe

Pai

Mãe

Pai

Mãe

Pai

Mãe

Pai

Mãe

Pai

Mãe

Pai

Mãe

Pai

Mãe

Pai

Mãe

Pai

Mãe

Pai

Mãe

Pai!


Todos Vós,

Residentes No Verme Homem,

Deixem-Se

Deixem-Se

Deixem-Se

Deixem-De

Por Ela Mutilar

Aos Cuidados

Da Mãe Inominável,

Aos Cuidados

Do Pai Inominável!


Deixem-Se Mutilar

Por Ela,

Vermes

No Verme Homem,

Deixem-Se

Deixem-Se

Deixem-Se

Deixem-Se,

Sim

Sim

Sim

Sim

Sim

Sim

Sim

Sim

Sim

Sim

Sim

Sim

Sim

Sim

Sim

Sim!


Mutilar,

Vermes,

Verme Homem!


Mutilar,

Vermes!


Mutilar,

Verme Homem!


Deixe-A Mutilar-Te,

Verme Homem,

Marches Dançando

Com Ela

Na Dança Inominável

Da Mãe Inominável,

Na Dança Inominável

Do Pai Inominável,

Afastado Da Materialidade

Que Verminosamente

Te Afoga No Poço Estranho

Da Verminosidade,

Mutilado Como Ela É,

Desde Seu Porvir Inominável

No Útero

Da Mãe Inominável,

No Útero

Do Pai Inominável,

Mutilada

Mutilada

Mutilada,

Tendo E Sendo

Apenas Do Alto,

Tendo E Sendo

Apenas Dançarina Draconiana

Alta

Do Caminho Obscuro Inominável,

Sendo Ela

Dançarina No Kosmos

Da Inominabilidade,

Ela Dançando

Ela Dançando

Ela Dançando

Com As Duas Espadas Mutiladoras

Da Materialidade,

Ela Dançando,

Ela E As Duas Espadas,

Ela,

Dançando,

As Duas Espadas,

Ela

A Quadragésima Oitava

Deusa Guerreira Inominável,

Ela

A Quadragésima Oitava

Deusa Guerreira Inominável,

Ela

A Quadragésima Oitava

Deusa Guerreira Inominável,

A Quadragésima Oitava

Força Inominável,

A Quadragésima Oitava

Força Inominável,

A Quadragésima Oitava

Força Inominável!






Comentários

Postagens mais visitadas