Uma Doçura Da Possível Deusa Que Adora Amar


não há histórias de felicidades

próximas ao meu lacrimoso lago

de derrotas e quedas

sei que perco nas derrotas

A Doura Vela

sei que perco nas quedas

A Doura Voltagem

a coragem é um curso encantador

que ainda permanece aqui

entre os meus arruinados

castelos de pequeno homem

que poetiza para não

arrancar a própria cabeça

com a guilhotina dos dias

Deuses estão distanciados

Deuses estão próximos

uma Deusa Que Adora Amar

uma Deusa Inominável

vem aqui de vez em quando

me falar da Antiga Fogueira

e dos tempos perdidos

de Valmore

e das risadas dos Filhos

De Diana

e da liberdade dos Filhos

De Dianus

corre o tempo efêmero

correm os tempos feminis

A Deusa Que Adora Amar

Deusa Inominável

me cerca de cuidados

e é ao mesmo tempo

tão adorável como

a Deusa Afrodite

tão fortalecedora como

a Deusa Ártemis

tão terrível como

a Deusa Hecate

tão avassaladora

quanto Lilith e Babalon

Senhores De Muitos Nomes

Senhoras De Todos Os Nomes

Uma Senhora Do Um

Senhora Inominável

No Um

é o passado

é o presente

é o futuro

tudo vai ficando mais lacrimoso

eu choro pelos males que afetam

e que se erguem

no Panteão Humano Dos Não-Deuses

e adianto-me à Deusa

Que Adora Amar

em uma solitária e desconsiderada

atenção ao Verdadeiro Amor

que eu pergunto

onde está?

onde está?

onde está?

onde está?

onde está?

onde está?

onde está?

onde está?

onde está?


Inominável Ser

PERTO DA DEUSA

QUE ADORA AMAR




Comentários

Postagens mais visitadas