Instintivas Passagens E Demais Naturezas Selvagens - Canto VI


Pequeninos Deuses Mortos

Diante do furacão

De todos os nossos remorsos...


Revestidos pelas

Damas Da Aurora

Que Se Fechou Para O Dia...


Revestidos de suores

Custosamente fabulosos

E caudalosamente escandalosos...


Que Veste,

A Veste,

Nos remeteria ao pacifismo

Dos Altos Campos?


Se eu tivesse ainda

Aquelas asas...


Vestidos,

Como estamos Vestidos

Nestas longas temporadas

No Planeta Aterrado?


Se tu ainda tivesses

Aquelas asas...


Mas...


Sempre "mas"...


Sempre "MAS"!!!


Eterno "mas"...


Eterno "MAS"!!!


Denso "mas"...


Denso "MAS"!!!


Instintivo distintivo,

Meus braços vão caindo,

Courbet,

Amigo Courbet,

Onde deixei o meu umbigo

E o meu bastardo arrogante

Destemido destemor

Dos cadafalsos perigos?


Me tornei um

Revestido de divinas

Múltiplas mortes,

Mortes como a dos padeiros

De padarias de sangue

Que vertidos são pelos olhos

Dos humanos em chamas

Diante das torres

Do Enterro Dos Deuses

Que Não Somos?


EI,

PERGUNTO A TI

ISSO!!!


EI,

SABES ME RESPONDER,

AMIGO?


EI,

SABES ME RESPONDER,

AMIGA?


NÃO SABES?


NÃO PRETENDES

SABER?


NUNCA PRETENDERÁS

SABER?


Lamento se és assim,

Amigo,

Amiga,

O Vestido Da Mediocridade

É o vosso melhor

Tecido de longas huamanas

Viagens.


Inominável Ser

REVESTIDO

COM ALGO UM POUCO

MELHOR

DO QUE A MEDIOCRIDADE

ASSIM COMO SEU AMIGO

COURBET









Comentários

Postagens mais visitadas