O Funeral Do Humano Sonho


Na mais sombria de todas

as altas montanhas,

no mais sombrio dos meus

passos de eremita

pelas altas sombrias

montanhas,

nos dias mais sombrios

do meu arrastar-me

pelas altas sombrias

montanhas,

nas noites mais sombrias

do meu arrastar-me

pelas altas sombrias

montanhas,

encontrei um homem

a realizar um funeral

de renome.


Eu me sentei diante

dele,

com o respeito devido

ao Grande Ser

que ele É,

com o respeito devido

a um Caminhante,

a um Eremita,

bem mais antigo

do que eu

e todos os Eremitas

desta Esfera De Vida.


Eu me sentei diante

dele,

que estava nu

como eu,

a fitar uma pequena caixa

envolta em uma

fina dourada fita,

embrulho estranho

que curiosamente

me atraia.


Sentado ali,

respeitando o funeral

daquele homem,

triste homem,

mui triste homem,

cujo rosto carrega

o peso da infinitude

de uma

Grande Caminhada

Eterna,

eu comecei a verter

sombrias lágrimas

de meu sombrio rosto

de sombrio

homem,

poeta,

Eremita

Inominável.


Verti lágrimas

diante de Adam,

O Pai Da Humanidade,

O Primeiro Homem,

Heve o traiu

com Lúcifer

e hoje é

O Brilho Das Manhãs

Mais Eternas,

enquanto Ele

permaneceu aqui

nesta Terra,

Terra que assassinou

Habel,

Terra que eternizou

Kain.


Adam

sombriamente começou

também a chorar,

a alta sombria montanha

também começou

a chorar,

a chuva caiu

e era

O Choro Do Um

acompanhado pelo

Choro Dos Senhores

Todos

Da Humanidade Terrestre,

O Funeral ali

era o do

Humano Sonho,

O Humano Sonho,

O Humano Sonho,

O Humano Sonho...


Não me lembro

do

Humano Sonho...


Não lembro

Dele...


Não lembro

mesmo

Dele...


Não lembro...


Tu,

Mulher,

Lembras

Do

Humano Sonho?


Tu,

Homem,

Lembras

Do

Humano Sonho?


Não lembram?


Não lembram

Do

Humano Sonho?


Não lembram?


É por isso,

então,

que Adam

chora,

que os Senhores

Todos Da

Humanidade Terrestre

Choram,

que

O Um

Chora...


E eu choro por ser

tão imbecil

e tão sem memória

como todos vós

imbecis sem memória

cujo Funeral ocorre

lá naquela

alta sombria montanha

onde estive,

Funeral presente

nas costas nuas

de Adam

como a sombria mancha

a sangrar

representando as

Lágrimas Da Humanidade,

de uma Humanidade,

que aqui já

caminhou

e já não

caminha mais...


Será que

dita Humanidade

voltará

a aqui

caminhar?


Será que

esta Humanidade

voltará

aqui

a Sonhar?


Inominável Ser

ETERNAMENTE

FREQUENTANDO

O FUNERAL

DO

HUMANO SONHO

E O FUNERAL

DA

HUMANIDADE

TERRESTRE







Comentários

Jaqueline Sales disse…
Tocante e mítico, trágico e envolventemente triste essa caminhada vazia.

Com saudades, te deixo um Uivooooooooooooooooooooooooooooooo
Inominável Ser disse…
Caminhada colhendo os restos desta Humanidade nossa que a cada dia se carnavaliza em Decadência...

Agradeço a visita a este blog, Loba.

Postagens mais visitadas