Tentar Sorrir E Libertar O Eu


O Tempo,
Grande Cronos,
Não sorri para os ossos
Dos meus passados
Túmulos de sonhos...

Não,
Deus Cronos não
Sorri...

Adália,
Onde estás?

Adália,
Onde estás
A vossa rósea face?

Adália,
Onde estão
Os vossos lábios formosos?

Adália,
Adália,
Onde?

Quem é Adália,
Meu Eu que poetiza?

Não conheço Adália nenhuma
Nesta existência sofrida,
Quem sabe ela é
Uma amante de existência feliz
Na qual eu sorria?

Não me lembro de Adália,
Mas tento sorrir
Para a imemorial presença dela
Em minha alma imortal...

Adália...

Adália...

Adália...

Ó,
Criatura criatura criatura criatura
Que não sei se saiu de um sonho,
Que não sei se saiu de um pesadelo,
Onde onde onde onde
Te conheci?

Em algum Paraíso...

Em um Paraíso...

No Paraíso,
O Paraíso Perdido de Milton,
Éramos como
A Mãe Eve,
Éramos como
O Pai Adam,
Puros,
Inocentes,
Felizes,
Sorrindo!

Tentar sorrir agora...

Sim,
Eu tento sorrir agora!

Tento,
Então,
Sorrir agora...

Sorriso,
Onde tu fostes passear?

Sorriso,
Tu ficastes com Adália?

Adália,
Adália,
Adália,
Ó,
Desconhecida Adália,
Onde sorrir,
Como sorrir,
Para poder te reencontrar?

O sorrir abandonou o meu íntimo lar...


Preciso...


Libertar O Eu...


Preciso...


Libertar O Eu...


Preciso...


Libertar O Eu...


Preciso...


Libertar O Eu...


Preciso...


Libertar O Eu...


Preciso...


Libertar O Eu...


Preciso...


Libertar O Eu...

Preciso...


Libertar O Eu...


Preciso...


Libertar O Eu...


Sementes apodreceram,
Apodreceram diante das fontes
Das grutas de muitos medos,
Humanos morreram,
Humanos cresceram,
Morrer crescer morrer crescer morrer
Crescer morrendo
Morrer crescendo
Morrer morrer morrer
Crescer crescer crescer!

Deuses,
Cresçamos!

Deuses,
Temos que morrer!

Eus Eus Eus Eus,
Os Eus de todos nós
Adiante devem erguer
As muralhas do Verdadeiro Poder,
Vejam ali vejam ali
A Ponte Na Fonte Do Ser
Mais Do Que A Agulha Que Perfura
O Íntimo Da Criação!

Crescer,
Humanidade!

Morrer,
Humanidade!

Crescendo,
Escapando dos dejetos,
Encontrando os fatos novos,
Sendo um fato novo,
O Fato Novo Fato,
O Novo Fato Novo,
Da Existência Eterna,
Eternos somos
Eternos somos
Eternos somos
Eternos somos
Eternos somos
Eternos
Somos
Eternos somos somos somos!

Crescer,
Eternos,
Libertos!

Morrer,
Eternos,
Libertos!

Eu Liberto!

Eu Liberto!

Eu Liberto!

O Verdadeiro,
O Verdadeiro Homem,
Está No Eu Liberto
De Cada Homem,
Está No Eu Liberto
De Cada Mulher
Na Bruta Alta Suave Fonte De Poder
Da Libertação Existencial!

Deuses,
Crescendo,
Crescer,
Cresçamos,
Cresci!

Deuses,
Morrendo,
Morrer,
Morramos,
Morri!

Assim É O Eu Liberto!

Libertar O Eu:
O Verdadeiro Salvar-Se!


Cronos pede paciência...


Cronos pede humildade...


Cronos pede lentas danças...


Inominável Ser

LENTAMENTE

DANÇANDO.








Comentários

Postagens mais visitadas