sábado, maio 30, 2009

0

Na Leitura Do Livro Da Magia Da Criação


A Grande Maga Da Criação

Vasculha O Livro

Que Narra

Os Rituais Da Geração

E Da Corrupção,

Os Rituais Que Moldaram

As Filosofias

Das Esferas.


Produzo Um Sonho

Com A Minha Magia,

Me Aproximo Dela

Nesta Meia-Noite

Mágica...


Abaixo A Fronte,

Ergo Minha Humildade,

Sou Um Mago Iniciante,

Um Mago De

Pouca Idade...


Pousam Rouxinóis

Aos Meus Pés,

Ela Me Abraça

E Me Chama De

Irmão Mais Novo,

Eu A Abraço

E Lhe Chamo De

Irmã Mais Velha...


Meu Coração Chora,

Minha Alma Chora

E Me Recordo

De Tê-La Encontrado

Lá Onde Se Perderam

As Anteriores Esferas...


Tartaruguinhas,

Pintinhos,

Passarinhos,

Pequenos Sagrados Bichinhos

Ponho Ao Meu Colo

E Ela Se Alegra

Acariciando Um Gatinho

Tão Ou Mais Brilhante

Do Que Todas

As Estrelas Moldadas...


Eu Me Aproximo

Do Livro,

Ela Abre Uma Página

Para Mim,

Eu Leio...


Eu Leio...


Uma Lágrima Cai Agora...


Eu Leio...


Outra Lágrima Cai Agora...


Eu Leio...


Uma Terceira Lágrima Cai Agora...


Eu Leio...


Uma Quarta Lágrima Cai Agora...


Eu Leio...


Uma Quinta Lágrima Cai Agora...


Eu Leio...


Uma Sexta Lágrima Cai Agora...


Eu Leio...


Uma Sétima Lágrima Cai Agora...


Eu Leio...


Uma Oitava Lágrima Cai Agora...


Eu Leio...


Uma Nona Lágrima Cai Agora...


Nove Vezes

As Minhas Lágrimas

Banham

O Livro Da Magia

Da Criação

E Nove Vezes

A Grande Maga

Da Criação

Me Abraça...


Perguntais

Porque

Nove

Vezes

Chorei?


Perguntais

Porque

Nove

Vezes

Choro?


Se Vós Pudesseis

Ler O Que Li

E Ainda Leio

Naquele Mágico

Livro,

O Maior De Todos

Os Livros,

Chorarieis Mais Do

Que Eu Chorei

E Choro,

Chorarieis Tanto

Que Um Mar

De Lágrimas

De Não-Deuses

Provocariam Um

Outro Dilúvio

Na Terra...


Inominável Ser

CHORANDO

E MOLHANDO

AS PÁGINAS

DO LIVRO

DA MAGIA

DA CRIAÇÃO







quinta-feira, maio 28, 2009

0

No Silêncio, Dragão Negro, No Silêncio...


No Silêncio,

Dragão Negro,

No Silêncio...


Vosso Sangue,

Em Minhas Veias,

Nas Veias Dos Mundos...


No Silêncio,

Dragão Negro,

No Silêncio...


Vosso Respirar,

Em Meu Espírito,

No Espírito Dos Mundos...


No Silêncio,

Dragão Negro,

No Silêncio...


Vosso Fogo,

Em Meu Fogo,

No Fogo Dos Mundos...


No Silêncio,

Dragão Negro,

No Silêncio...


Vossa Violência,

Em Minha Serenidade,

Na Serenidade Dos Mundos...


No Silêncio,

Dragão Negro,

No Silêncio...


Vossos Filhos,

Sou Vosso Filho,

Os Mundos São Vossos Filhos...


No Silêncio,

Dragão Negro,

No Silêncio...


Vossos Olhos,

São Meus Olhos,

São Os Olhos Dos Mundos...


No Silêncio,

Dragão Negro,

No Silêncio...


Vossas Escamas,

São Minhas Escamas,

São As Escamas Dos Mundos...


No Silêncio,

Dragão Negro,

No Silêncio...


Vossas Garras,

São Minhas Garras,

São As Garras Dos Mundos...


No Silêncio,

Dragão Negro,

No Silêncio...


Vossas Asas,

Minhas Asas,

As Asas Dos Mundos...


No Silêncio,

Dragão Negro,

No Silêncio...


Vosso Poder,

Meu Poder,

O Poder Dos Mundos...


No Silêncio,

Dragão Negro,

No Silêncio...


Vossa Vontade,

Minha Vontade,

A Vontade Dos Mundos...


No Silêncio,

Dragão Negro,

No Silêncio...


Vosso Ser,

Meu Ser,

O Ser Dos Mundos...


No Silêncio,

Dragão Negro,

No Silêncio...


Vosso Universo,

Meu Universo,

O Universo Dos Mundos...


No Silêncio,

Dragão Negro,

No Silêncio...


DRACONIS

UNIVERSUS

NIGRI


DRACONIS

UNIVERSUS

NIGRI


DRACONIS

UNIVERSUS

NIGRI


DRACONIS

UNIVERSUS

NIGRI


DRACONIS

UNIVERSUS

NIGRI


DRACONIS

UNIVERSUS

NIGRI


DRACONIS

UNIVERSUS

NIGRI


DRACONIS

UNIVERSUS

NIGRI


DRACONIS

UNIVERSUS

NIGRI


DRACONIS

UNIVERSUS

NIGRI


DRACONIS

UNIVERSUS

NIGRI


DRACONIS

UNIVERSUS

NIGRI


DRACONIS

UNIVERSUS

NIGRI


DRACONIS

UNIVERSUS

NIGRI


DRACONIS

UNIVERSUS

NIGRI


DRACONIS

UNIVERSUS

NIGRI


DRACONIS

UNIVERSUS

NIGRI


DRACONIS

UNIVERSUS

NIGRI


DRACONIS

UNIVERSUS

NIGRI


DRACONIS

UNIVERSUS

NIGRI


DRACONIS

UNIVERSUS

NIGRI


DRACONIS

UNIVERSUS

NIGRI


Inominável Ser

NO SILÊNCIO

COM

O DRAGÃO NEGRO







sexta-feira, maio 22, 2009

0

A Grande Deusa Caçadora Dos Dias De Douradas Humanas Glórias


Com Graça

As Setenta Mil Flechas

Foram Por Ela Lançadas

No Coração

Da Unidade


Com A Graça

Das Grandes Deusas

Ela Alcançou

Com Seu Poder

A Unidade


Com A Graça

Do Verdadeiro Caçar

Ela Fez Da Humanidade

A Pequena Senda

Da Unidade


Com A Graça

Que Encantava Os

Deuses Das Luzes E

Das Trevas

Ela Foi Una


Una Caçadora

Amante Da Formosura

Da Coroa Una

De Brilhos

Dourados


Una Caçadora

Armada Com Suas

Mil E Uma Forças

Que Encontravam

O Arco De Flechas Aladas


Una Caçadora

Tornada Grande Deusa

Que A Humanidade Conhecia

No Uivo Dos Lobos

E No Cantar Das Pradarias


Corria A Deusa

Que Eterna Caçava

No Sangue

Da Humanidade

Dourada


Corria A Deusa

E Caçava

Junto Ao Espírito

Da Humanidade

Dourada


Corria A Deusa

E A Grande Caça

Elevava Ao Um

A Humanidade

Dourada


Quem Quebrou

A Flecha

Que Ela

E Muitos

Lançaram?


Quem Quebrou

A Maior Das Flechas

Rumo Ao Um

E Ao Mais

Encontrável?


Quem Quebrou

As Douradas Flechas

Da Esperança Que

Caçamos Hoje

Em Queda?


Ah,

Grande Deusa Caçadora,

Como Tolos,

Grandes Tolos,

Humanos Tolos!


Ah,

Grande Deusa Caçadora,

Os Tolos Humanos,

Tolos Pequenos Grandes,

Quebraram A Flecha!


Ah,

Grande Deusa Caçadora,

Quebrada Está A Flecha,

A Dourada Flecha,

A Una Flecha!


Ah,

Grande Deusa Caçadora,

Tuas Caçadas Hoje

Inutilmente

Tentam Reconstrui-La!


Ah,

Grande Deusa Caçadora,

Como Esta Humanidade

Feriu A Grande

Subida Dela Mesma!


Ah,

Grande Deusa Caçadora,

As Humanas Caçadas Hoje

Trituradas São Por Aquelas

Múltiplas Tenebrosas Presas!


Inominável Ser

UM DOS QUE

QUEBRARAM

A DOURADA

FLECHA







quinta-feira, maio 21, 2009

0

Os Deuses E Os Seus Jogos De Dados


Os Deuses E Os Seus Jogos

De Dados:

Apontam Para Cima,

Jogam Para Baixo.


Os Deuses E Os Seus Jogos

De Dados:

Olham para Baixo,

Sacodem Farrapos.


Os Deuses E Os Seus Jogos

De Dados:

Esperam As Visitas,

Empurram Os Lados.


Os Deuses E Os Seus Jogos

De Dados:

Equilibram Os Ritmos,

Requebram Nos Marcos.


Os Deuses E Os Seus Jogos

De Dados:

Repetem A Fuligem,

Refazem O Barraco.


Os Deuses E Os Seus Jogos

De Dados:

Especulam A Vertigem,

Redimem O Errado.


Os Deuses E Os Seus Jogos

De Dados:

Louvam A Virgem,

Roubam A Tribo.


Os Deuses E Os Seus Jogos

De Dados:

Repetem A Voltagem,

Repelem A Roupagem.


Os Deuses E Os Seus Jogos

De Dados:

Religam A Crista,

Recriam A Pista.


Os Deuses E Os Seus Jogos

De Dados:

Elaboram A Quentura,

Namoram A Frieza.


Os Deuses E Os Seus Jogos

De Dados:

Soltam A Incerteza,

Acertam A Correnteza.


Os Deuses E Os Seus Jogos

De Dados:

Abortam Os Números,

Germinam Os Resultados.


Os Deuses E Os Seus Jogos

De Dados:

Quatro Para Eles,

Doze Para A Humanidade.


Inominável Ser

DOZE VEZES

PARTE DA

HUMANIDADE







sexta-feira, maio 15, 2009

0

Caçando As Pérolas De Afrodite Em Perturbado Mar


O Homem está distante

da

Aurora De Afrodite


Percebo isso

com

um pinguinho de juízo


Reconheço isso

mantendo

meus olhos abertos


Não durmo para não

perder

a Caça Das Pérolas


Em gregas terras

pesquei

Afrodite


Me arrastei ao mar

e

as Pérolas Dela colhi


Voltei do mar

e

A amei enfim


Tive a Deusa

Do

Amor em mim


Tive a Espuma

Do

Mar em mim


Naqueles dias tudo

era

são


Naqueles dias todos

eram

sãos


Naqueles dias

Amor

se podia tocar


Naqueles dias

Amei

o mar e a Dona Do Mar


Naqueles dias

bem longe


Naqueles dias

muito longe


Naqueles dias

longe

destes dias


Destes dias

de

Humano Esquartejamento


Destes dias

de

Humano Aniquilamento


Destes dias

de

Humano Apedrejamento


Destes dias

de

Humano Linchamento


Destes dias

de

Desgraça Contemporânea


Destes dias

de

Decadência Humana


Destes dias

sem

A Deusa Afrodite


Destes dias

sem

As Pérolas De Afrodite


Dias indecentes

de

uma civilização afogada


Dias indecentes

de

uma civilização suicida


Dias indecentes

de

uma civilização em cinzas


Afrodite chora

por

todos nós


Inominável Ser

CAÇANDO

PERTURBADO

EM

PERTURBADO

MAR

AS PÉROLAS

DE AFRODITE

CHOROSA