sábado, novembro 28, 2009

0

A Deusa Justiça Ruge


Diante Dos

Pais Das Humanidades,

A Deusa Justiça Ruge

Tendo Aos Seus Pés

O Leão Da Eternidade

Na Justiceira Beleza

Dos Julgamentos

Das Mil Eternidades!


Sua Balança

Inquebrável!


Suas Sentenças

Inegáveis!


Seus Julgamentos

Irrepreensíveis!


Seus Rugidos

Admiráveis!


A Deusa Justiça

Ruge!


A Deusa Justiça

Ruge,

Crimes Não Escapam-Lhe!


A Deusa Justiça

Ruge,

Criminosos

Não Escapam-Lhe!


A Deusa Justiça

Ruge,

Cumprindo A Missão

Que Dada Lhe Foi

Pelo Pai E Mãe

Dos Deuses,

O Uno Leão,

A Una Justiça,

O Uno Perfeito Que Ruge!


Não Escondam

Vossos Rostos,

Criminosos Da Terra,

Os Rugidos Dela

Acossam Os Vossos

Rangeres De Dentes

Mui Bárbaros!


Não Escondam

Vossas Manchas,

Criminosos Da Terra,

Os Rugidos Dela

Pintam Diante De Vossos

Fluídicos Painéis

Imortalíssimos

A História De Cada Um

Dos Vossos Atos

Mui Destrutivos!


Não Escondam

Vossas Mãos,

Criminosos Da Terra,

Os Rugisdods Dela

Ecoam Em Vossas

Trevosas Consciências

E Sujas Almas

Mui Pesadas!


Ela Vos Pesa!


A Vós,

Criminosos Da Terra,

Ela Pesa!


Tenham Remorso!


Não Tenham Remorso!


Parem Com

Os Vossos Crimes!


Continuem Com

Os Vossos Crimes!


De Uma Forma

Ou De Outra,

O Cajado,

A Espada

E A Balança

Da Deusa Justiça

Impiedosamente

Pesarão Em Vossas

Mutilantes Almas

Já Mui Sujas,

Já Mui Pesadas,

Assim Como Pesam

Em Muitas Outras

Baixas

E Mais Baixas

Esferas!


Inominável Ser

OUVINDO OS RUGIDOS

DA

DEUSA JUSTIÇA









sexta-feira, novembro 27, 2009

2

O Grande Oceano Interior


Velas de um barco,

incessante navegante

de oceano amado,

mui vezes

oceano desconhecido,

mui vezes

oceano ignorado,

levam ao infinito

dentro de mil

finitos.

O marinheiro toca

sua gaita,

sua tatuagem

no braço direito

é um

dragão marinho,

dua tatuagem

no braço esquerdo

é uma

sereia formosa.

Sua música

de solidão amiga

alcança os ouvidos

dos Deuses Do Mar,

as ondas acalmam-se,

a travessia do oceano

torna-se amiga,

o litoral avistado,

uma praia vazia.

Salta o marinheiro

do barco,

avista na areia,

bem longe,

uma mulher brilhante

revestida de

luz estelar,

caminhando belissimamente

sorridente

em sua direção.

O marinheiro ajoelha-se,

a mulher próxima,

ela toca na lótus

entre as suas sobrancelhas,

as visões

mais celestes

inundam-no nas ondas

mais intensas.

A mulher mostra-lhe

A Paz Gloriosa,

Este Oceano Interior que

apenas marinheiros

de todas as

marítimas viagens

mais solitárias

e lacrimosas

encontram abraçando

ondas

e areias

de praias desertas

povoadas por

pacíficos fundamentos

pescadores d'almas.

A mulher,

A Mulher,

A Deusa Paz,

Esta Face Do

Verdadeiro Criador,

É A Grande Marinheira

Enamorada

De Toda Verdadeira

Paz Interior.


Vossos barcos

estão navegando

em vossos oceanos,

marinheiras

e marinheiros

em vestes de

navegante leitor?


Inominável Ser

NAVEGANDO

MARINHEIRO

EM SEU

OCEANO INTERIOR








domingo, novembro 22, 2009

0

Uma Deusa Em Uma Noite Pelas Humanas Ruas


Uma Deusa resolveu realizar
noturno passeio
pelas humanas ruas,
sem medo de ser vista
como santa,
já que Suas vestimentas
e brilhos
parecem com os das
cristãs santas.

Uma Deusa passeou em uma
noite de serenatas e bebidas
várias
pelas humanas ruas,
sem disfarçar-Se como humana
e sem direcionar-Se
a qualquer humano
que encontrou pelas
profanas noturnas ruas,
Divinamente
Trajada
como costuma ficar
em Sua Eterna Morada.

Uma Deusa passeou pelas ruas
em uma noite enluarada,
nas esquinas encontrou bêbados
caindo de tontos,
moças bonitas e moços bonitos
oferecendo-se aos motoristas
de caros carros,
meninos e meninas de rua
cheirando cola,
alguns sendo
espancados,
alguns sendo
assassinados,
todos de
inumeráveis maneiras
destruídos por várias
intensas violências.

Uma Deusa passeou pelas
ruas com calçadas repletas
das mesmas
e outras crianças,
dos mesmos
e outros adultos
perdidos
dormindo,
correndo riscos vários
nas mãos dos carrascos vários
que Ela encontrou
em becos e vielas escuros.

Uma Deusa pelas ruas
em uma noite iluminada,
em algumas ruas encontrou
brigas e assaltos,
em outras ruas encontrou
acidentes e assassinatos,
em algumas outras ruas
carnavais e festas caipiras
e desfiles e orgias
realizados pelos desvairados mortais.

Uma Deusa pelas ruas
em uma noite agitada,
Ela caminhou entre os transeuntes
que buscavam
alguma motivação,
alguma razão,
alguma emoção,
alguma noção,
alguma vida,
algum sexo
e algo mais,
as contemporâneas doses de
ambrosias ilusórias
das noites quentes e frias dos mortais.

Uma Deusa pelas ruas
passeou em noite de uivos
de cães e gatos,
uivos à lua,
satélite que Ela acarinha
nos braços
como acarinhou aos
solitários cães e gatos
das ruas abandonados,
quais entes
mais dotados
de racionalidade
do que os
decadentes humanos
que encontrou
repletos de
odores fecais
n'almas e nos corpos.

Uma Deusa pelas ruas
passeou nas calçadas
vazias e cheias
em noite também de estrelas,
as quais nenhum humano
Ela viu contemplando,
as quais cumprimentaram-Na
com tristes sorrisos por estarem
assim esquecidas,
recebendo Dela
O Grande Beijo
Da Paz Divina,
Beijo dispensador
de Inefável Amor
ao solitário brilho
de cada uma.

Uma Deusa pelas ruas,
como eu sei!,
em uma noite,
passeou entre nós,
não foi percebida,
não foi assaltada,
não foi assediada,
apenas silenciosa apreciou
com um triste olhar,
com um angustiado olhar,
com um piedoso olhar,
o panteão noturno das ruas.

Uma Deusa que se cansou
de não ser reconhecida,
de não encontrar
um humano digno
diante do qual
pudesse fazer-Se
conhecida,
e que,
naquela noite,
entediando-Se
e estressando-Se
com a visão que teve
da Humanidade
Contemporânea,
sentando em um boteco qualquer
da Boca do Lixo,
pediu uma cervejinha geladinha
seguida
de uma cachacinha
daquelas bem bravas,
erguendo-Se depois tontinha
em direção à Sua Eterna Morada.

Aquela Deusa confrmou
diante dos
demais Deuses
que,
como Ela,
aqui na Terra
foram esquecidos,
daqui da Terra
foram desterrados,
a atualidade de uma Humanidade
que não percebe mais
qualquer divino brlho
ou as próprias
Celestes Vestes
Da Imortalidade.

Aquela Deusa sentiu
verdadeiramente
piedade
desta atual Humanidade,
mas não quis iluminar
aos que encontrou pelas ruas,
afinal de contas
Ela É uma Deusa
e não uma santa milagreira
que serve de babá
aos infantes seres residentes
nesta terrestre lixeira.

Inominável Ser
UM NÃO-DEUS
NÃO-MILAGREIRO
QUE POETIZA







0

Saudosos Daquela Campestre Harmonia...


Lindamente,

sonhamos com

Aqueles Tempos,

ah,

Aqueles

Tempos...


Lindamente,

voamos até

Aqueles Tempos,

ah,

Aqueles

Tempos...


Lindamente,

choramos por

Aqueles Tempos,

ah,

Aqueles

Tempos...


Humanos,

nossas almas,

a de cada um

de nós

individualmente

e a do Todo

que nos molda

como Unidade,

não esqueceram

ainda

da Alta Chama

da qual saimos,

ah,

Aquela

Alta

Chama...


Humanos,

cada um de nós

tem saudade

Daqueles Campos,

ah,

Aqueles

Campos...


Humanos,

cada um de nós

tem saudade

Daquela Paz,

ah,

Aquela

Paz...


Humanos,

cada um de nós

tem saudade

Daquele Silêncio,

ah,

Aquele

Silêncio...


Humanos,

cada um de nós

tem saudade

Daquele Mundo,

ah,

Aquele

Mundo...


E

de Outros

Mundos Melhores,

ah,

Mundos

Melhores...


E de

Mundos Muito Mais

Altos,

ah,

Mundos

Muito

Mais

Altos...


E

da Imersão

Na Unidade,

ah,

Imersão

Na

Unidade...


Unidade:

A Campestre

Harmonia

Que Dá

Saudade...


ah,

Unidade

Unidade

Unidade

Unidade

Unidade

Unidade

Unidade

Unidade

Unidade...


Inominável Ser

SAUDOSO

DA CAMPESTRE

HARMONIA

DA UNIDADE







sábado, novembro 21, 2009

0

ANIMA MATER AETERNUS


Anima

Mater

Aeternus,

Qual Água,

Qual Fonte?


Anima

Mater

Aeternus,

Por Que Chorar,

Por Que Cair?


Anima

Mater

Aeternus,

Sonhamos Sempre,

Perdemos Tanto?


Anima

Mater

Aeternus,

Sabemos Ganhar,

Garantimos Lugar?


Anima

Mater

Aeternus,

Filhos Vossos

Chamam-Te...


Anima

Mater

Aeternus,

Folhas Vossas

Caem...


Anima

Mater

Aeternus,

Gigantes Vossos

Saem...


Anima

Mater

Aeternus,

Pequenos Vossos

Escondem...


Anima

Mater

Aeternus,

Terra Chorosa,

A Terra Chorosa!


Anima

Mater

Aeternus,

Lama Vultosa,

A Lama Civilizada!


Anima

Mater

Aeternus,

Lados Tenebrosos,

Os Lados Povoados!


Anima

Mater

Aeternus,

Há Orações,

Há Missões.


Anima

Mater

Aeternus,

Há Leões,

Há Falcões.


Anima

Mater

Aeternus,

Há Lições,

Há Vilões.


Anima

Mater

Aeternus,

Evoco-Te,

Evocamos-Te.


ANIMA

MATER

AETERNUS


UMA

VEZ

MÃE!!!


ANIMA

MATER

AETERNUS


DUAS

VEZES

MÃE!!!


ANIMA

MATER

AETERNUS


TRÊS

VEZES

MÃE!!!


ANIMA

MATER

AETERNUS


QUATRO

VEZES

MÃE!!!


ANIMA

MATER

AETERNUS


CINCO

VEZES

MÃE!!!


ANIMA

MATER

AETERNUS


SEIS

VEZES

MÃE!!!


ANIMA

MATER

AETERNUS


SETE

VEZES

MÃE!!!


ANIMA

MATER

AETERNUS


OITO

VEZES

MÃE!!!


ANIMA

MATER

AETERNUS


NOVE

VEZES

MÃE!!!


Inominável Ser

ORANDO

EM EVOCAÇÃO

À

ANIMA

MATER

AETERNUS