O Grande Oceano Interior


Velas de um barco,

incessante navegante

de oceano amado,

mui vezes

oceano desconhecido,

mui vezes

oceano ignorado,

levam ao infinito

dentro de mil

finitos.

O marinheiro toca

sua gaita,

sua tatuagem

no braço direito

é um

dragão marinho,

dua tatuagem

no braço esquerdo

é uma

sereia formosa.

Sua música

de solidão amiga

alcança os ouvidos

dos Deuses Do Mar,

as ondas acalmam-se,

a travessia do oceano

torna-se amiga,

o litoral avistado,

uma praia vazia.

Salta o marinheiro

do barco,

avista na areia,

bem longe,

uma mulher brilhante

revestida de

luz estelar,

caminhando belissimamente

sorridente

em sua direção.

O marinheiro ajoelha-se,

a mulher próxima,

ela toca na lótus

entre as suas sobrancelhas,

as visões

mais celestes

inundam-no nas ondas

mais intensas.

A mulher mostra-lhe

A Paz Gloriosa,

Este Oceano Interior que

apenas marinheiros

de todas as

marítimas viagens

mais solitárias

e lacrimosas

encontram abraçando

ondas

e areias

de praias desertas

povoadas por

pacíficos fundamentos

pescadores d'almas.

A mulher,

A Mulher,

A Deusa Paz,

Esta Face Do

Verdadeiro Criador,

É A Grande Marinheira

Enamorada

De Toda Verdadeira

Paz Interior.


Vossos barcos

estão navegando

em vossos oceanos,

marinheiras

e marinheiros

em vestes de

navegante leitor?


Inominável Ser

NAVEGANDO

MARINHEIRO

EM SEU

OCEANO INTERIOR








Comentários

Metáforas fabulosas adorei tudo aqui e voltarei sempre..beijos
Inominável Ser disse…
Retornes sempre, Cristal, retornes sempre e aqui lacrimejante fiques!

Postagens mais visitadas