A Sacerdotisa Do Natural Envenenar


Dançando na Natureza,

a qual desconhecemos,

A Sacerdotisa

Do Natural Envenenar

nos dá,

em pequenos movimentos

a noção do Respirar

Das Grandes

E Das Pequenas

Rodas

E Rotações.


As Estações Envenenam,

Grandes

Coisas

Serpenteiam!


As Estações Envenenam,

Grandes

Avanços

Serpenteiam!


As Estações Envenenam,

Grandes

Ventos

Serpenteiam!


As Estações Envenenam,

Grandes

Danças

Serpenteiam!


As Estações Envenenam,

Grandes

Tremores

Serpenteiam!


As Estações Envenenam,

Grandes

Alvores

Serpenteiam!


As Estações Envenenam,

Grandes

Amores

Serpenteiam!


Amores Sacerdotais,

momentos nos quais

A Amante Natureza

encontra

O Amado Natural

e

O Filho Da Serpente

multiplica-se diante

da

Naturalidade Universal!


São Multiplicadas

As Forças Da

Sacerdotisa!


É Purificada

A Força De Todas

As Terras!


Santificados São

Os Sulcos De Raízes

Das Árvores

Envenenantes

Da Grande Vida!


O Veneno Da

Grande Vida:

O Verdadeiro Frescor

De Todas

As Abundâncias!


O Veneno Do

Grande Dia:

O Verdadeiro Furor

De Todas

As Ondas!


O Veneno Do

Grande Tempo:

O Verdadeiro Poder

De Toda

A Eternidade!


Sibila A Verdade

Diante

Da Sacerdotisa!


Sibila A Verdade

Diante

Da Sacerdotisa!


Sibila A Verdade

Diante

Da Sacerdotisa!


Sibila A Verdade

Diante

Da Sacerdotisa!


Sibila A Verdade

Diante

Da Sacerdotisa!


Sibila A Verdade

Diante

Da Sacerdotisa!


Sibila A Verdade

Diante

Da Sacerdotisa!


Sibila A Verdade

Diante

Da Sacerdotisa!


Sibila A Verdade

Diante

Da Sacerdotisa!


E uma pequena gota

de veneno ainda

da Verdade

ressuscita toda alma

abortada diante

do sabor

da amarga água

da materialidade.


Inominável Ser

BEBENDO

DO VENENO

DA VERDADE









Comentários

Postagens mais visitadas