A Soberania Da Deusa Dos Corvos




A Divina Noite

Diz Que

O Grande Corvo Obedece

A Uma Antiga Deusa

Que Ressurge Sempre

Que As Cinzas De Uma Era

Dispersas Vão Sendo

Pelos Herdeiros De Um

Mundo.


Há Antigos Cânticos

A Falarem De Tal Antiga Deusa,

A Deusa Dos Corvos,

Uma Filha Divina Da

Grande Manhã

E Da Grande Noite,

Aquela Que Traz

As Vozes Presentes

Na Morte E No Renascimento

De Todas As Coisas.


Há Novos Cânticos

Chegando Do Coração

Das Grandes Coisas,

Novos Cânticos A Falarem

Do Chamado Da

Deusa Dos Corvos

Na Encruzilhada Das Eras,

Ela Escreve A História

Das Cinzas Eternas,

A História Dos Mundos

Que Destruídos Foram,

As Histórias Das Criações

Que Destruídas Foram.


O Grande Corvo Alça Vôo,

A Deusa Dos Corvos

Expande Pelas Sombras Cósmicas

Os Textos De Seus Livros,

Livros Que Lidos Podem Ser

Através Do Corte

Que Podem Fazer

Aqueles Que Sabem Quando

A Noite Desperta De Seu

Sono Maior.


A Deusa Dos Corvos

Escreve Sobre Viver

E Viver,

Viver Ao Som Das

Músicas Solares,

Viver Ao Som Das

Músicas Lunares,

Retornando Ao Pó

Quando A Hora Decisiva

Do Renascer

Clama Pelo Nosso

Último Alvorecer.


A Deusa Dos Corvos

Escreve Ao Lado

Dos Anciães Supremos

Do Destino Eterno Da Criação,

Dos Anciães Supremos

Da Eternidade,

Dos Anciães Supremos

Do Infinito,

Dos Anciães Supremos

Da Vida,

Dos Anciães Supremos

Da Morte,

Escreve

UM,

Escreve

DOIS,

Escreve

TRÊS,

Escreve

QUATRO,

Escreve

CINCO,

Escreve

SEIS,

Escreve

SETE,

Escreve

OITO,

Escreve

NOVE,

Escreve

DEZ,

Escreve

ONZE,

Escreve

DOZE,

Escreve

TREZE...


UM

OSSO...


DOIS

OSSOS...


TRÊS

OSSOS...


QUATRO

OSSOS...


CINCO

OSSOS...


SEIS

OSSOS...


SETE

OSSOS...


OITO

OSSOS...


NOVE

OSSOS...


DEZ

OSSOS...


ONZE

OSSOS...


DOZE

OSSOS...


TREZE

OSSOS...


A Deusa Dos Corvos,

Uma Dos Escritores Cósmicos,

Uma Visão Da Deusa Morte

A Escrever Sobre A Nossa

Sorte

E A Sorte De Todas As Coisas

Nas Mais Variadas E Infinitas

Esferas

Detentoras Das Obras

Moldadas Pela

Unidade.


E O Grande Corvo Voa...


Inominável Ser

QUE

INUTILMENTE

ACREDITA SER

O PRÓPRIO

ESCRITOR

DE SUA SORTE


Comentários

Abraço-te disse…
à deusa dos corvos...


.... Abraço-te
Inominável Ser disse…
À Deusa Dos Abraços...



... bem-vinda a estas Lágrimas!

Postagens mais visitadas